Esse artigo faz parte da série Transporte e Logística de Produtos Para a Saúde, onde trataremos do panorama das empresas de transporte e logística.

Primeiramente cabe observar que quanto tratamos de Produtos para a Saúde nestes artigos, estamos falando de uma gama de produtos que vão de alimentos, passando por produtos médicos, hospitalares, equipamentos, instrumentos, acessórios até medicamentos e cosméticos, perfumarias e etc.

O Objetivo não é atingir o público técnico (farmacêuticos e profissionais), mas sim os proprietários que já estão no ramo e aqueles que querem adentrar, assim como vendedores, pessoal de marketing e etc.

As empresas que estão neste setor de forma mais consolidada adentraram e assumiram o mercado há cerca de quinze anos ou mais. Nesta época somente os grandes operadores assumiam o risco e conseguiam se licenciar. Já por volta de 2003 a 2007 houve um boom  de pequenas e médias empresas em busca da regularização, evitando perder contratos e, quem sabe, avançar um pouco no setor.

O fato primordial nesta conversa é a qualidade. Empresas que não possuíam qualidade, procedimentos, processos e um mínimo de estrutura acabaram desistindo. Outras se arrastaram e possuem as licenças até hoje (sabe-se lá como ainda tem a licença).

O fato é que a legislação avançou, o mercado ficou mais exigente, as Boas Práticas saíram do papel e foram parar nas empresas e aquelas que se seguraram estão aí. Porém o mercado se polarizou, segundo minhas observações, entre aquelas empresas que tem licença e as que Transportam Produtos regulados pela Anvisa. A que tem licença transporta de tudo, os produtos regulados são somente mais uma – mercadoria, ao passo que as que entenderam o assunto – tratam os produtos com diferenciação.

E é sobre esta diferenciação que o empresário que contrata os serviços de transporte deve lançar seu olhar. Quem dita as regras é o cliente e o contratado deve estar preparado para atender às exigências do cliente, em especial com relação aos documentos.

Temos muitas, muitas empresas – licenciadas – mas sem qualquer condição de existirem, menos ainda com licenças e aqui tratamos de aspectos básicos como a higiene dos veículos, cargas tóxicas com produtos, veículos sem condições de trafegar, galpões infestados por pragas, umidade e sujeira. Mas nem tudo são só trevas!

Há também no mercado bons prestadores de serviços e quando dizemos bons, estamos nos referindo a pequenas empresas – honestas – que tratam o produto adequadamente, possuem procedimentos, higiene, boas práticas, veículos com até 5 a 10 anos de uso, todos os documentos, farmacêutico presente e com preços muito competitivos.

Na hora de contratar não pense só na tabela e inicie sua concorrência pela documentação, conheça as empresas, o farmacêutico, quem comanda.

Um abraço e conte com a Pharlog!

Saiba Como Transportar Sua Carga da Área da Saúde.

Utilizando de boas práticas, sem correr riscos de multas, e com todas as licenças necessárias requeridas pela ANVISA.

Clique para saber mais