O nosso artigo de hoje traz informações importantes para quem necessita fazer a qualificação de transportadoras – Anvisa. Vamos aprender mais um pouco?

Certamente em algum momento do seu dia a dia você ouviu falar de qualificação de transportadoras – Anvisa, não é mesmo? Ou Licença Anvisa, transporte de medicamentos?

Esse assunto – qualificação – é muito comum entre gestores da qualidade, entre farmacêuticos. Ou ainda, comum entre os responsáveis técnicos.

Tudo isso por ser um assunto muito importante.

É provável que o responsável técnico de sua empresa comentou ou disse que precisam realizar qualificação de transportadoras – Anvisa ?

Ou ainda, ao procurar por Transportadoras com Anvisa, deparou-se com o assunto?

Neste artigo que trata de qualificação de transportadoras – Anvisa você vai aprender tudo o que precisa para contratar uma transportadora.

E mais, vai saber quais os requisitos são necessários para que ela possa operar.

Continue lendo!

A transportadora para que possa exercer suas atividades de transporte na área da saúde, deve preencher uma série de requisitos. Todos os requisitos serão apresentados mais adiante!

O que é importante saber neste momento é quanto sua empresa pode ser penalizada ao não realizar a qualificação de transportadoras – Anvisa.

Ao não realizar a qualificação de transportadoras – Anvisa, sua empresa incorre em infração sanitária.

Isso por que não cumpre as Boas Práticas de Fabricação, dispostas nas resoluções da Anvisa.

Paralelo a isso, trata-se de uma empresa que não possui requisitos mínimos para a atuação na área da saúde. Em saúde a responsabilidade por danos aos seres humanos é compartilhada. Ou seja, mesmo que a culpa seja da transportadora, sua empresa responde pelo dano causado!

Também devemos analisar a credibilidade junto ao seu cliente que espera que os produtos comprados cheguem com qualidade. É impossível atestar a qualidade de um produto transportado sem as boas práticas de transporte.

Aproveite e baixe nosso E-Book de Boas Práticas e aprenda como fazer uma qualificação de seu parceiro de transporte passo a passo!

Nesta cadeia o consumidor pode ser um hospital, uma clínica ou uma indústria. Mas também pode ser o consumidor final.

Isso significa que quem compra deve exigir as boas práticas de quem vende, afinal quem compra geralmente paga o frete!

Mas exatamente quais são os requisitos para fazer uma qualificação de transportadoras – Anvisa?

Bem, estamos no caminho, pois agora você já sabe mais sobre as consequências em não contratar uma transportadora qualificada.

Mas para quais atividades precisamos de transportadoras com Anvisa?

Na visão da Pharlog, toda e qualquer empresa em qualquer ramo, deveria ter Boas Práticas de Transporte. Mas esta exigência é especialmente importante na área da saúde.

As categorias que exigem Boas Práticas de Transporte são Medicamentos e Correlatos ou Produtos para a Saúde. Também os cosméticos, alimentos e os saneantes.

Bem, agora que já sabemos as consequências em não contratar transportadoras com Anvisa

Agora que sabemos quais as categorias de produtos precisam de transportadoras com Anvisa vamos falar dos requisitos, está pronto?

Vamos listar as mais básicas:

  • Presença de farmacêutico responsável;
  • Registro no Conselho de Classe – CRF;
  • Manual de Boas Práticas com procedimentos operacionais padronizados – mínimo;
  • Boas Práticas implementadas com registros de atividades – recomendável;
  • Garantia da qualidade implementada – Essencial;
  • Alvará sanitário junto à Vigilância Sanitária Local;
  • Licenças Anvisa;

 

Para conseguir parte dos documentos acima, a empresa deverá desenvolver:

  • Fluxo de trabalho com organograma definido, inclusive no que tange as responsabilidades da Garantia da Qualidade;
  • Possuir documentos básicos de instalação da empresa, como alvará de localização e funcionamento e bombeiros;
  • Deverá ter em dia a Medicina do Trabalho com o PPRA e PCMSO, além dos atestados de saúde ocupacional;

Procedimentos mínimos e obrigatórios

  • Limpeza – das áreas da empresa e dos veículos;
  • Controle de documentos e atualizações;
  • Reclamações de clientes;
  • Avarias, extravios e devoluções – Ocorrências;
  • Carga, descarga, acomodação da carga;
  • Recebimento e expedição – se necessário;
  • Armazenamento – caso armazene;
  • Procedimento de auto inspeção;
  • Procedimento de qualificação de parceiros, agregados e empresas terceirizadas;
  • Compatibilidade de cargas;

Agora que já delineamos os requisitos, vamos explicar os mais importantes?

Mas você pode optar por parar por aqui e entrar em contato com a Pharlog.

Para nós da Pharlog as Boas Práticas de Transporte estão em nosso DNA!

 

OK, você quer saber mais do assunto, não é? Está interessante mesmo! E você pode usar estas informações para contratar uma empresa e debater com eles. Viu como é ótimo ler os nossos artigos? Melhor ainda só trabalhando com quem entende; com a Pharlog!!!

Vamos lá!

  • Presença de farmacêutico responsável: Este profissional, desde que experiente, cuidará de toda a documentação. Também da garantia da qualidade, apoio aos clientes e supervisionará a operação. Além disso, irá responder tecnicamente por tudo!
  • Registro no Conselho de Classe – CRF: Cuida do registro da empresa e do profissional no órgão de fiscalização. O CRF/ CFF cuida da fiscalização do exercício profissional;
  • Manual de Boas Práticas com procedimentos operacionais padronizados – mínimo: Requisitos mínimos de operação e dados da empresa. Nos procedimentos as informações são mais detalhadas;
  • Boas Práticas implementadas com registros de atividades – recomendável: É a evolução do ítem anterior, pois é um processo vivo e implementado. Também contém registros e é mais abrangente;
  • Garantia da qualidade implementada – Essencial: Um processo completo, dinâmico, com ferramentas da qualidade. Possui registros, controles, medições e melhoria contínua;
  • Alvará sanitário junto à Vigilância Sanitária Local: É o documento que garante que sua empresa possui condições mínimas. Através dele sabemos que a empresa foi vistoriada e cumpre a legislação;
  • Licenças Anvisa: Ponto máximo de autorização. Depende totalmente do cumprimento de todos os requisitos anteriores;

Como dito acima, para chegar a estes requisitos há um longo caminho.

Neste caminho o mais importante para quem contrata é:

  • Saber que os procedimentos estão implementados e em funcionamento;
  • Que a empresa não é só mais uma com uma pilha de licenças e documentos em uma gaveta;
  • Que as Boas Práticas de Transporte são realmente uma realidade.

Mais do que isso, muitas transportadoras oferecem as Boas Práticas de Transporte, cobram por isso, mas não cumprem com o prometido!

Agora você, leitor do Blog da Pharlog é um exímio conhecedor de como fazer qualificação de transportadoras – Anvisa e já pode debater sobre o assunto.

Também é válido se aprofundar nos itens citados e destacados e saber mais um pouco de cada um.

Sua empresa também pode entrar em contato com a Pharlog e eliminar uma etapa enorme deste processo tornando-se nosso cliente! Ou ainda, pode pedir a presença ou conversar com o nosso Farmacêutico Ricardo Murça.

Você já sabe, para não levar multas, infrações sanitárias e para não chatear seu cliente. Também para ser uma empresa que compre as Boas Práticas… Tem que contratar uma empresa que cumpra as Boas Práticas de Transporte

Então faça contato com a Pharlog agora mesmo e pare de trabalhar com empresas que não cumprem o que prometem;

Pare de se chatear fazendo imensos processos de concorrência que levam meses;

Pare de PAGAR CARO por um serviço que não agrega em nada a sua empresa;

Pare de oferecer fretes caros e sem qualidade.

 

Ligue para a Pharlog – (11) 28727200 mande um e-mail para a Pharlog

Ou Preencha o Formulário de Contato.

 Um abraço!

 

Pharlog Transportes e Logística