Logística e Transporte de Produtos Farmacêuticos e as Boas Práticas

Por Ricardo Murça

Todos os dias somos bombardeados por uma gama de informações, mudanças de legislação e novas exigências.

Multas, fiscalizações e normas que mal sabemos que existem. Tudo para deixar o empresário perdido!
Pequenas e médias empresas, em geral, sofrem mais com a falta de informação e são as que mais carecem ou solicitam a ajuda de profissionais com conhecimentos na área.

O Assunto de Hoje é o Transporte de Produtos Farmacêuticos.

Produtos Farmacêuticos contemplam os Medicamentos, Drogas (lícitas e controladas) e Insumos Farmacêuticos. Também os Cosméticos, Produtos de Higiene, Perfumes. Na área hospitalar temos os correlatos que são os Acessórios e Equipamentos Médico hospitalares e para a saúde e os Saneantes Domissanitários.

A regulação desta atividade já é conhecida no meio profissional há muito tempo. É uma atividade realizada, de forma discreta, há mais de 20 anos. Nos últimos 10 anos os CRF’s e a Anvisa vêm cobrando as Boas Práticas dos empresários e empresas que prestam estes serviços o que vem gerando certa revolta, muitas vezes causadas por desconhecimento.
Por este motivo resolvi escrever este pequeno artigo que visa elucidar, junto com alguns outros artigos presentes aqui neste BLOG. Quero tratar mais sobre a atividade das transportadoras em Transporte de Produtos Farmacêuticos;

Primeiramente gosto de dividir os assuntos e elucidar de modo correto os enquadramentos:
• Transporte: Consiste em levar os produtos de um ponto ao outro. Pode haver rápido armazenamento ou parada, entrepostagem, mas sem picking ou permanência em estoque. As Vigilâncias Sanitárias já têm conhecimento destas definições logísticas e estão mais atentas;
• Armazenamento: Não inclui o transporte e é somente a atividade de armazenar e movimentar os produtos dentro do galpão. Pode incluir atividades de picking/ manuseio, embalagem e separação;
• Logística: É um tipo de atividade que inclui tudo isso. O operador logístico pode transportar, armazenar e distribuir os produtos, manipular, executar o cross docking, o picking e outras atividades pertinentes. Pode incluir todos os tipos de modais do transporte, pode estar localizado em uma zona portuária ou não;

Para os CRF’s, uma empresa que possui em seu contrato social a atividade de logística, deverá manter um profissional farmacêutico por todo o período de funcionamento.
Caso o contrato tenha atividades de transporte, mesmo com armazenamento, a empresa poderá manter o profissional por 20 horas semanais.

No contexto da Anvisa, não existe, ainda, um assunto, um peticionamento ou uma licença para empresas de Logística. Neste caso, segundo a Res. 222 de 2006, a empresa deverá enquadrar-se como empresa Armazenadora e solicitar ampliação de atividades.

O medicamento e os demais produtos farmacêuticos no contexto comercial dos Transportes de Produtos Farmacêuticos.

No início de 2004 me lembro que muito se debatia e se comparava da seguinte maneira:
“Se para transportar medicamento eu preciso de farmacêutico, então para transportar tijolo eu preciso de um engenheiro”
Parando para analisar uma caixa de sabão em pó e uma caixa de medicamento as duas são caixas, indiscutivelmente. E se formos argumentar, como fica? Piora.
Por isso, vou explicar o que é medicamento, como é obtido e poderemos estender o entendimento para os demais produtos farmacêuticos.

• Medicamento é um produto farmacêutico, tecnicamente obtido ou elaborado com finalidade profilática, curativa, paliativa ou para fins de diagnóstico.
pt.wikipedia.org/wiki/Medicamento
• substância utilizada para sanar uma doença ou atenuar seus efeitos; tudo aquilo que pode ser usado para resolver ou minorar um problema, uma situação complicada
pt.wiktionary.org/wiki/medicamento
• “Toda a substância ou composição com propriedades curativas ou preventivas das doenças ou dos seus sintomas, do Homem ou do animal, com vista a estabelecer um diagnóstico médico ou a restaurar, corrigir ou modificar as funções orgânicas.” (Dec.- lei 72/91 de 8 Fevereiro)
wikilusa.com/wiki/Farmacologia
• Preparação farmacêutica contendo um ou mais fármacos, destinado ao tratamento, prevenção, diagnóstico, correção ou modificação das funções orgânicas.
www.kahost.com.br/blog/archives/10.

Eu, Ricardo, particularmente gosto mais desta descrita abaixo e entendo que é a mais aceita e ensinada no Brasil, segundo a farmacopeia brasileira:

“Produto farmacêutico, tecnicamente obtido ou elaborado com finalidade profilática, curativa, paliativa ou para fins de diagnóstico. É uma forma farmacêutica terminada que contém o fármaco, geralmente em associação com adjuvantes farmacotécnicos.”

Saiba Como Transportar Sua Carga da Área da Saúde.

Utilizando de boas práticas, sem correr riscos de multas, e com todas as licenças necessárias requeridas pela ANVISA.

Clique para saber mais

 

Falando de forma bem profissional, como farmacêutico, dentro daquela caixinha de papelão existe um produto que tem as seguintes características:
• É destinado à saúde, ao consumo humano, à recuperação da saúde e tratamento de doenças;
• É obtido, em geral, após uma ou duas décadas de estudos, envolve bilhões em investimentos de pesquisa e segurança;
• Envolve o maior arsenal de legislações, boas práticas e técnicas de produção;
• Envolve, no mínimo, uma centena de profissionais para a produção de um produto básico, como uma Dipirona;
• É produzido em ambientes extremamente controlados, estéreis e constantemente vigiados e fiscalizados.

Bem, eu cansei de falar dos medicamentos e digo que, grosso modo, não tem o mesmo modo de produção de um tijolo. Ou tem?
Trata-se de uma atividade especializada.
Hoje sou empresário e farmacêutico e ainda não consigo comparar. Transporto peças automotivas e medicamentos e consigo discernir matematicamente. Noto claramente em meu faturamento, o contexto de cada um em minhas atividades.

O Farmacêutico é ponto pacificado neste contexto. Vejo o Conselho de Farmácia batendo firme na cobrança da presença dos profissionais nos estabelecimentos e transportadoras e dou meu apoio.
Além disso, uma empresa que contrata uma transportadora está pagando pela assistência profissional à carga confiada. É dever cobrar que o profissional preste a devida assistência. Além disso que a empresa tenha os documentos em dia e ofereça o suporte necessário.

Aspectos financeiros e comerciais

A contratação de serviços de transporte, transportadoras para fazer as entregas e levar as cargas é, em geral, baseado em tabelas de preço de frete e é aí que mora o perigo.
Já vi muita gente sentar em restaurantes para comer, ler o cardápio no lado do preço e comer o mais barato (que nem sempre é o que se quer comer) ou levantar e sair.
Por este motivo o preço não deve ser o principal aspecto de análise para contratar a empresa que prestará serviços de transporte.
Também receber um vendedor engravatado em um carro chique e ouvi-lo apresentar slides por uma hora vai lhe servir de algo. Falar até papagaio fala e papel aceita tudo!

Deste modo, detalho alguns passos importantes para você escolher a sua transportadora:
• Defina suas necessidades;
• Defina os parâmetros de qualidade necessários e desejáveis;
• Analise o seu cliente atual e quais clientes quer conquistar;
• Faça um levantamento histórico:
o Faturas e valores individuais cobrados pela transportadora atual;
o Reclamações, atrasos e tempo de entrega;
o Quebras, avarias, desvios, roubos e o tempo de resolução;
• Defina quem vai pagar o frete e se em algumas situações você poderá pagar;
• Defina a área geográfica de atuação e quais são as praças (cidades) para as quais você mais vende;
• Levante o seu volume de cargas diário, mensal e anual (médios);
• Levante dados como peso, medidas das embalagens e valor médio dos envios (médias dos valores de notas fiscais);

Com essas informações você terá subsídios para uma excelente negociação!

Precificação e custo do Transporte de Produtos Farmacêuticos

São diversos os fatores que influenciam no custo do frete e posso citar a embalagem, o peso, o volume, valor dos produtos, tipo de produto e etc.
Acima, você notou que disse a você para analisar diversos itens e levantar estas informações com muita propriedade? Sabe por que?

Um preço de frete alto influencia não somente no que o cliente vai pagar, mas também no fechamento de suas vendas. Em geral um cliente que compra em uma distribuidora quer saber quanto irá pagar de frete no final das contas. E se ele pudesse barganhar comprando mais de sua empresa e conseguisse frete grátis?

Com o volume e histórico de envios você pode analisar a sua sazonalidade e gasto médio, máximo e mínimo. Sua empresa pode oferecer ao transportador um valor mínimo fixo mensal para faturamento. Pense ainda em transformar este valor em franquia de consumo.

Como são as embalagens destes produtos? Você usa embalagens padronizadas que sobram espaço dentro e acaba tendo que enchê-las para que os produtos não mexam lá dentro? E como fica o peso disso?
Seus produtos são volumosos? Produtos com grande volume em geral tem o cálculo do frete através da cubagem ou seja o peso cubado em metros cúbicos.

Eu garanto que é possível conseguir bons preços de frete com boa qualidade e oferecer ao seu cliente um serviço de qualidade. Deve ser rápido e ainda ajudar a alavancar suas vendas.

Na Pharlog utilizo meus doze anos de experiência como farmacêutico na área de transportes e logística para fornecer ao cliente opções personalizadas em nossos serviços.

Atendemos a hospitais com entregas urgentes, distribuidores e atacadistas de produtos médicos e hospitalares. Também atendemos a empresas de cosméticos e alimentos, assim como indústrias, comércio varejista, farmácias, importadoras e exportadoras.

Grande abraço

Ricardo Murça